Feira de São Martinho 2013

Feira-Sao-Martinho-PTM

No Parque de Feiras e Exposições de Portimão vai ter lugar a 351ª Feira de São Martinho, o mais antigo evento popular da cidade e que remonta a 1662.

Neste que é um dos pontos altos da animação outonal no Algarve, o visitante pode encontrar os tradicionais expositores de produtos agro-alimentares, louça, plásticos, brinquedos, bijuteria, calçado, entre outras. Ao ar livre estará ainda disponível um espaço de animação, com tômbolas, jogos, pistas de carrinhos de choque e outros equipamentos de diversão para os visitantes, acompanhados pelas tradicionais castanhas assadas, as farturas, as pipocas, os cachorros quentes, o pão com chouriço e outros petiscos nos bares e tasquinhas existentes no recinto.

De 2013-11-8 a 2013-11-17

No Parque de Feiras e Exposições de Portimão

HORARIO

Dia 8:16h00-01h00

Dia 9:10h00-01h00

De 10 a 14:10h00-24h00

Dias 15 e 16:10h00-01h00

Dia 17: 10h00-23h00

Homenagem ao poeta António Aleixo

Antonio Aleixo

A 16 de novembro 2013, pelas 16h00, o Cine-Teatro Louletano vai ser palco de uma homenagem ao maior poeta popular português – António Aleixo – no dia em que se assinala o 64º aniversário da sua morte.
Esta iniciativa tem início com a apresentação da comunicação “Os Manuscritos da Poesia de António Aleixo: Subsídios para a sua edição crítica”, apresentada pelo Professor da Universidade do Algarve, J. J. Dias Marques.

Segue-se o espetáculo musical “Fado Aleixo”, com Afonso Dias e as colaborações de Teresa Viola, Tânia Silva, Marinela St. Aubyn, Adriano St. Aubyn e Ricardo Martins.
“Fado Aleixo” é um tributo ao mais criativo e sagaz dos poetas algarvios. Talvez o mais moderno e, seguramente, o mais interventivo socialmente. Foi António Aleixo que elevou a voz do povo às alturas de uma arte maior e foi essa arte que o impôs como figura superior da cultura portuguesa. “Fado Aleixo” traz o poeta Aleixo de regresso ao Fado Tradicional que ele mesmo cantava. Porque Aleixo cantava o Fado. E tocava Guitarra portuguesa.

O Fado é, neste trabalho, sujeito a alguns “atrevimentos”. Desde logo o recurso a instrumentos pouco habituais: piano, fagote, acordeão, percussões, cavaquinho… Mas também os arranjos que levam o Fado de volta a territórios que influenciou e o influenciaram musicalmente – em África, no Brasil, nas Caraíbas… Um Fado de percursos e fusões. Porque o Fado é um viandante e um vadio. Que se mistura e se acrescenta com as viagens.

Para os promotores deste evento, esta é “a homenagem justa e devida ao Poeta que elevou a voz do Povo às alturas de uma arte maior”.

O preço dos bilhetes para este espetáculo é de 6 euros.

António Fernandes Aleixo (Vila Real de Santo António, 18 de fevereiro de 1899 — Loulé, 16 de novembro de 1949) foi um dos poetas populares algarvios de maior relevo, famoso pela sua ironia e pela crítica social sempre presente nos seus versos. Também é recordado por ter sido simples, humilde e semianalfabeto, e ainda assim ter deixado como legado uma obra poética singular no panorama literário português da primeira metade do século XX.
António Aleixo andou nas lides do campo, foi tecelão, soldado, polícia, vendedor de cautelas e gravatas e emigrante em França, no entanto tornou-se conhecido no meio social como poeta. O professor Joaquim Magalhães viria a ser seu “secretário”, reunindo, mais tarde, em livro as suas quadras populares, de uma grande profundidade filosófica e, hoje, cantadas por grandes intérpretes da música portuguesa ou recordadas em recitais de poesia.

O poeta António Aleixo era conhecido pelas suas quadras repentinas, caracterizadas pela crítica social e pelo retrato de certas situações que observava no seu quotidiano. O Café Calcinha é indissociável da sua obra e hoje junto à esplanada ergue-se uma estátua de homenagem ao poeta, da autoria de mestre Lagoa Henriques, fazendo-nos lembrar o “Pessoa de Loulé”.

Estão publicadas as seguintes obras da sua autoria: “Quando começo a cantar” (1943), “Intencionais” (1945), “Auto da vida e da morte” (1948), e publicadas postumamente, “Auto do curandeiro” (1950), “Auto do Ti Jaquim” (incompleto), “Este livro que vos deixo” (1969) – reunião de toda a obra do poeta e “Inéditos” (1979).

Orquestra Clássica do Sul em Novembro 2013

OCS

Em Novembro, a Orquestra Clássica do Sul (OCS) percorre Faro, Tavira, São Brás de Alportel, Ayamonte, Évora e Mértola, com uma programação que apresenta desde música de câmara, árias de ópera e concerto para piano.

A música de câmara continua em grande destaque na programação da OCS, estando três concertos dentro deste ciclo agendados para o início do mês. No dia 1, serão duas as oportunidades de assistir a estes concertos. Às 18h30, na Sala de Ensaios Dr. Ramires Fernandes, situada na sede da Orquestra Clássica do Sul, junto ao Teatro das Figuras, em Faro, um reportório para cordas e flauta e oboé será apresentado ao público, com as obras “Quinteto com Oboé” de Arnold Bax, os “Quintetos com flauta” 1 e 2 do Opus 55 de Luigi Boccherini e ainda o “Quarteto com Flauta Nº 1” do célebre Mozart.

Neste mesmo dia, pelas 22h00, no Centro de Ciência Viva de Tavira, o evento ‘Halloween – Noite das Bruxas’, promovido por aquela entidade, encerra com um concerto pela OCS, protagonizado por um quarteto de cordas. O programa é composto pelo “Divertimento em Ré Maior K. 136”, o “Divertimento em Fá Maior, K. 138” e a “Pequena Serenata Noturna (Eine kleine Nachtmusik, K.525)”, que servem de roteiro para a viagem por alguma das famosas obras de câmara do clássico Mozart. Este reportório será executado novamente no dia seguinte, 2 de Novembro, na sala de ensaios da Orquestra Clássica do Sul (Dr. Ramires Fernandes), pelas 18h30.

No dia 9, pelas 21h30, o Conservatório Regional do Algarve, celebra o seu 40º aniversário com um concerto no Auditório Pedro Ruivo, em Faro. O reportório, composto por obras de Felix Mendelssohn, inicia com a abertura de “La Bella Melusina”, segue com o “Concerto para Piano Nº.1 em Sol menor, Op. 25”, que será interpretado pelo pianista João Almeida, natural de Faro e docente neste conservatório. O concerto termina com a “Sinfonia Nº 4 em Lá Maior, Op. 90”, também conhecida por a “Italiana”. A direção musical estará a cargo de Jan Wierzba.

Nos dias 14, no Teatro das Figuras em Faro (às 21h30), no dia 15, no Cine-Teatro de São Brás de Alportel (às 21h00), e no dia 16, no Teatro Cardenio em Ayamonte (às 20h30, hora local), o tenor Carlos Cardoso junta-se à OCS e ao maestro titular Cesário Costa para um espetáculo que apresenta árias de ópera de Rossini, Donizetti, Bizet, Verdi e ainda a “Sinfonia n º 102 em Si bemol maior” de Haydn.

A programação de Novembro encerra no Alentejo, onde irá atuar no dia 29 no Teatro Garcia Resende em Évora e, no dia 30, no Cineteatro Marques Duque, ambos às 21h30. Frederico de Freitas, Charles Gounod e Schubert: três grandes compositores que serão celebrados neste concerto, dirigido pelo maestro polaco Piotr Sułkowski.

Exposição de Christian Gaillard “Festa do Cavalo da Golegã e Tango”

Golegâ - Men and Horses by Christian and Solal Gaillar
Golegâ – Men and Horses
by Christian and Solal Gaillar

1 de Novembro pelas 19h30 no Hotel Conrad Algarve na Quinta do Lago‎.
Inauguração da Exposição dos quadros e fotos do Artista Christian Gaillard. Com o tema “Festa do Cavalo da Golegã e Tango”, com cavaleiros do ribatejo e danças de salão como parte do evento.

Começando às 19:30 com charretes, matadores e cavaleiros do Ribatejo. Os ritmos da música tradicional, no dia do todos os Santos com as habituais castanhas assadas e um leitão assado no espeto, ao estilo – Conrad.

As obras de arte de Christian Gaillard estarão em exposição. A sua paixão pela tauromaquia e seus matadores tem sido o tema central de suas pinturas por mais de duas décadas, e o artista francês de 62 não está pronto para desistir tão cedo. Esta exposição de obras irá incluir as suas meticulosas pinturas a óleo de matadores em seus magníficos trajes e drama com suas representações dos casais, intensamente entrelaçados em sensuais movimentos do Tango. Além disso, juntamente com seu filho Solal Gaillard, ele irá apresentar o seu livro intitulado Golegã – homens e cavalos com edições limitadas de cerca de 20 fotografias a partir da publicação.

As fotografias e pinturas a óleo que Gaillard é trazer para Portugal são tão intimamente relacionados com o tema da noite e tem um link especial para o país, retratando o belo cavalo Lusitano, os homens que os montam e a feira que tem lugar desde o século XVI, numa cidade em Santarém, onde tudo gira em torno do cavalo.

Inicialmente como ilustrador profissional, Christian gravitou em relação ao mundo das touradas através de suas memórias de férias da infância em Espanha com seus pais. Após muitos anos de pintura como um passatempo, expôs suas obras de arte pela primeira vez há cerca de 25 anos em uma galeria de arte francesa. A exposição foi um sucesso, definitivamente, lançando-o para o mundo da pintura. Muitas vezes comparado ao Mestres Espanhóis como Velásquez e Goya, o pintor estará presente na inauguração da exposição, organizada pela Galeria ArtCatto em Loulé.