Programa: 19º Festival Internacional de Jazz de Loulé

cartazjazz2013

Marcado para 2, 3 e 4 Agosto (2013) pelas 22 Horas, este ano realiza-se no Parque Municipal de Loulé, e como sempre a organização da Casa da Cultura de Loulé, conta, tal como na edição anterior, com a direção artística do pianista Mário Laginha.

Para mais informações e contactos: click aqui

Programação:

NO PROJECT

Um trio que se quer ver livre em várias direções; que luta pelo direito de não ter, precisamente, projeto – por deixar a música surgir no momento de tocar; e ainda pela liberdade de não ficar escravo desta liberdade e poder improvisar também a partir de composições, originais ou não, de Ornette Coleman, Keith Jarrett ou outros. Ou não.

João Paulo Esteves da Silva – piano

Nelson Cascais – contrabaixo

João Lencastre – bateria

RICARDO COELHO PROJECT

Dá nome ao projeto dirigido por este pianista residente no Algarve e que tem como tónica as suas principais influências musicais e estilísticas. A sua música caracteriza‑se por um jazz moderno, cujo repertório evidencia o gosto pela música de sabor ibérico, com referência a músicos como o andaluz Chano Dominguez, ou Chick Corea, em temas como “La Fiesta” ou “Spain.” Neste roteiro musical, poderemos ainda ouvir os ritmos diversificados de músicos como Hermeto Pascoal, Dave Brubeck e o seu famoso Blue rondo à la turk, passando por uma interessante interpretação de Bach em swing. Desta combinação resultará um espetáculo eclético, que certamente agradará ao ouvinte.

Piano – Ricardo Coelho

Voz- Teresa da Silva

Baixo electrico- Luís Henrique

Bateria e percussões João Melro

DESIDÉRIO LÁZARO “SAMSARA”

Samsara, segundo álbum do jovem saxofonista Desidério Lázaro, foi lançado em Setembro do ano passado. Sucede a Rotina Impermanente (2010). E traz sete novos temas (pouco mais de uma hora de música), nos quais Desidério Lázaro mostra que o jazz português tem qualidade e interesse.

Samsara é um disco alegre e positivo, numa sequência musical feita de altos e baixos quase todos em tom alegre. Trata-se de uma sequência de ciclos, ou não fosse “Samsara” uma palavra budista que remete para as fases que a alma atravessa no sentido da purificação, um significado metafórico que convida a considerar os altos e baixos da própria vida.

Mas este é bem mais do que um mero disco de jazz. A influência do rock progressivo dos anos 70 é clara nas composições de Desidério Lázaro. Aqui, são peças fundamentais a exímia técnica de saxofone tenor e soprano do próprio Desidério Lázaro, as talentosas guitarras de Afonso Pais e João Firmino, o toque do contrabaixo de Francisco Brito e o ritmo da bateria de Joel Silva – em suma, os cinco intérpretes de Samsara.

Este segundo trabalho de Desidério Lázaro está disponível desde Setembro de 2012, com o selo da nova editora de jazz portuguesa “Sintoma Records.”


PAULO LUZ

Paulo Luz é um jovem baixista que, após um período de formação académica e de larga experiência em palco, decide reunir todas as suas influências musicais e criar o seu próprio projeto a solo: dá assim origem a um conjunto de novas composições e realiza uma viagem sonora bastante eclética e em nada preconceituosa, baptizada como FROM HERE.

Sendo o improviso a base estrutural do seu conceito musical, este projeto explora uma linguagem universal e passa mesmo por terrenos antagónicos como o pop/rock e o funk, que tanto influenciam nos dias de hoje o conhecido jazz nascido em New Orleans.

ANNA MARIA JOPEK

Anna Maria Jopek colaborou na sua carreira com as estrelas maiores da música do Mundo: Pat Metheny, Chris Botti ou Branford Marsalis. Há muitos anos, juntamente com o seu marido, Marcin Kydryński, revela grande fascínio pela paisagem e pela música de Portugal: grava os discos em Lisboa e visita a cidade com muita frequência; é em Lisboa que tem a sua segunda casa.

O marido, Marcin Kydryński, foi já condecorado pelo Presidente da República Portuguesa, pela divulgação da música e cultura portuguesas

Em 2011, AMJ gravou com os artistas portugueses o álbum Sobremesa (com a participação de Sara Tavares, Camané, Ivan Lins, Paulo de Carvalho, Tito Paris). O disco vendeu 45 mil exemplares na Polónia.

AMJ colabora há muitos anos com os seus amigos de Lisboa, dando com eles concertos em vários países: Polónia, Portugal, Itália. O conjunto “Sobremesa” é uma fusão polaco-portuguesa que demonstra a riqueza de cultura de ambos os países.

Mas “Sobremesa” não é o único fruto do amor da cantora a Lisboa. AMJ e o marido realizaram vários projetos com a participação de músicos portugueses na Polónia. Apresentaram ao público polaco as estrelas portuguesas: Mariza, Tito Paris e Camané.

BETTY M. QUARTET

Oriundo da tranquilidade e beleza do Algarve, este ensemble explora o repertório jazzístico nas suas mais variadas vertentes, passando pela interpretação de alguns dos maiores standards do cancioneiro americano, assim como pelo incontornável legado de Tom Jobim e da Bossa Nova.

Betty M. – Voz e Violino

Gonçalo Neto – Guitarra

Hugo Santos – Contrabaixo

João Sousa – Bateria

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *