Exposições de TAQUELIM e de LoCAL (Lagos)

Exposições “No ansejo da tarde ao cair da noite” de TAQUELIM e de “LoCAL – Colecção de Arte Contemporânea de Lagos” que se inauguram a 29 de Janeiro, sábado, às 18h30 no Centro Cultural de Lagos.

“No ansejo da tarde ao cair da noite” apresenta no Centro Cultural de Lagos uma antologia dos últimos dez anos do percurso artístico de Luiz Taquelim. Estão presentes uma selecção das suas pinturas realizadas a óleo ou acrílicos sobre tela e aguarela sobre papel, onde o artista aborda diversos temas, como a figura humana, personagens históricas, a paisagem ou cenas do quotidiano. A sua obra constrói um discurso visual que transcende uma abordagem realista e onde são trabalhadas sobretudo as vivências humanas, sobre a tela, ou as impressões sublimes da paisagem, nas aguarelas.

Luiz Taquelim nasceu em Lagos no ano de 1928 e além de pintor é arquitecto de formação académica. Exerceu essa actividade em Angola e no Algarve sempre em conjunto com a actividade de artista plástico. Realizou exposições individuais e participou em colectivas nas cidades de Luanda e Huila, tendo obtido os primeiros prémios nas exposições “Cidade de Luanda” e na Sociedade Cultural de Angola. Desde os anos oitenta participa também em diversas exposições no Algarve. Reside actualmente em Lagos.

Inauguração do núcleo museológico “LoCAL – Colecção de Arte Contemporânea de Lagos / Lagos Contemporary Art Collection” que em ciclos regulares e rotativos apresentará, nas salas 2 e 3 do CCL, o espólio de arte da Câmara Municipal de Lagos que foi iniciado nas Bienais de Lagos na década de oitenta do Sec. XX.

A designação “LoCAL” é uma sigla construída com as iniciais das palavras que constituem o título da colecção e tem um significado óbvio tanto em português como em inglês. Remete-nos para a importância das especificidades do local, do lugar, para a construção do conhecimento, num mundo cada vez mais descaracterizado pela globalização.

“LoCAL” será assim um projecto de encontro do pensamento contemporâneo que fará a ponte entre as novas ideias que proliferam no mundo e a realidade específica da criação no concelho de Lagos.

Neste primeiro ciclo serão apresentadas obras sob o tema “Mundo” de diversos autores como: Manuel Botelho, Pedro Portugal, Joaquim Bravo, Mónica de Miranda, Jorge Rocha, Mariana Madeira, Deodato, A. Pedro Correia, Jorge Mealha e outros.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *